Read Option, Triple Option e as zonas de leitura

Não demorou muito para que a leitura de zona fosse inventada e que os treinadores começassem a pensar em maneiras de transformar o ataque em jogadas com mais de uma opção de acordo com a leitura de certas zonas da defesa.

A entrega de bola de acordo com a leitura já existia em sistemas baseados em “veer offense”, provavelmente a verdadeira triple option, como a flexbone de Paul Johnson.

A partir do conceito de leitura na entrega de bola, dando ao Quarterback a opção de “pegar de volta” a bola após a leitura de determinada zona ou jogador, criou-se a Read Option.

A evolução atual nos leva à zona de leitura tripla (Triple Option), e a sua prima mais recente: A Triple Option com bubble screen ou screen pass (passes atras da linha de scrimmage).

Adicionar esse “pegar de volta” e essa terceira opção era natural e servia a duas boas funções: afastava a atenção da corrida da zona frontal, o foco principal da jogada, e aumentava seriamente a capacidade de uma grande jogada quando o Quarterback pega de volta a bola. A primeira leitura de uma read option será feita pelo Quarterback no snap, ele lê o lado defensivo onde o jogador está sem bloqueio, em um esquema de zonas de bloqueio (zone block) liberando a linha ofensiva pra bloqueios duplos; se o jogador  defensivo fica onde está ou corre para cima, o Quarterback passa a bola para o corredor (Running Back), mas se o defensor persegue o corredor, o Quarterback puxa a bola e corre no espaço deixado pelo defensor.

Quando se adiciona uma segunda leitura ao jogo, ele saberá procurar o jogador de cobertura da lateral, vai correr bem no ombro externo do jogador e deixa-lo definir: se o defensor ficar de fora ou ficar esperando, o quarterback vai cortá-lo por dentro, se o defensor atacar o Quarterback, ele o joga a bola para o outro runningback ou receptor. Este jogador tem que entrar em um espaço para receber a bola do Quarterback (zona de comprometimento), geralmente algo como cinco a sete jardas de distância e um a dois metros atrás do Quarterback. É seu trabalho manter esse espaço.

O ataque pode se tornar um pouco “previsível”, para fugir disso foi adicionada mais uma resposta as adaptações da defesa, o uso do bubble screen.

Com isso a opção além de não ser mais “previsível”, passou a não ser necessário o uso de 2 corredores ou de 1 recebedor como corredor, respondendo a compactação da defesa em direção ao Quarterback arremessando a nas costas do defensor que fecha a lateral.

Como o passe está atrás da linha de scrimmage, não há nenhuma preocupação com a linha ofensiva e seus bloqueios além da scrimmage. Com o tempo passou-se a usar também o screen pass.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *